domingo, 4 de outubro de 2009

Walk Awhile in my Shoes - Ande um pouco com meus sapatos - Parte 2

Dando sequencia às nossas reflexões vou relembrar uma frase que foi dita por Heráclito, antes de Cristo: "Nada há de mais permamente que as mudanças"
A partir deste texto, espero mais comentários, concordando, discordando e, principalmente acrescentando.
Vamos refletir:



“MUDANÇAS...”



... NA VISÃO DO EMPREGADO

Certo, eu admito. Quando a mudança começa um dos meus primeiros pensamentos tende a ser: “Eu desejo que você mude a sua cabeça”! Um dia você quer que eu faça isto, noutro dia aquilo... e algumas vezes é isto e aquilo no mesmo dia.

A mudança é particularmente dura comigo porque, quando ela chega, “rolando ladeira abaixo”, advinhe quem está no pé da ladeira? Eu! Eu raramente sou o “decisor” mas quase sempre o “executor”. Parece que, assim que eu me sinto confortável e eficiente em meu trabalho - WHAM! - uma nova leva de exigências e expectativas é derramada sobre mim. Eu realmente gosto de sentir que estou dando a minha contribuição à esta organização. Mas está cada vez mais difícil sentir isto.

Como você, eu estou aprendendo que a mudança contínua e a própria vida significam a mesma coisa. Mas algumas mudanças são mais fáceis de engolir do que outras. Basicamente, estou disposto a fazer coisas diferentes para nos manter à frente dos nossos competidores. Mas eu realmente rejeito aquelas mudanças que algumas vezes são solicitadas “porque você quer”, sem considerar cuidadosamente todos os aspectos envolvidos. Talvez se você pedisse minha opinião com mais freqüência isto não acontecesse.

Mas meu maior problema com a mudança ocorre quando você não investe tempo para me explicar os “porquês”! Se você sabe o porquê, diga-me. E aumentará as chances de eu apoiá-lo no que tem que ser feito. Se você não sabe o “porquê”, tente descobrir.

Eu estou lutando para entender este nosso novo “ambiente de negócios”. Estou fazendo o melhor que posso, mas estou apavorado. Um pouco mais de sensibilidade e paciência de sua parte, será um passo enorme para me ajudar a enfrentar o desafio.

A mudança pode não ser fácil para você, mas você, pelo menos, dá algumas das ordens... TENTE ANDAR UM POUCO COM OS MEUS SAPATOS.

... NA VISÃO DO GERENTE

Se você está esperando um discurso sobre os méritos da mudança, esqueça! Não é sobre isto que estaremos tratando.

Eu sei, com certeza, que a mudança constante é um fato da vida. E sim, eu entendo profundamente que, ou você se adapta à mudança, ou luta contra ela, em vão, e assiste o mundo deixá-lo para trás. Mas, em realidade, na maioria das vezes eu me sinto tão inconfortável e amedrontado com a mudança quanto você.

Talvez você me veja como o instigador ou efetivador da mudança. Se você pensa assim, até certo ponto está certo. Patrocinar e apoiar a mudança é uma de minhas responsabilidades - e isto é absolutamente necessário a fim de manter nossa organização bem sucedida e proteger nossos empregos. Mas, além de ter que ser um defensor da mudança, sou também sua vítima. E quando ela vem, “rolando ladeira abaixo”, eu tenho que fazer tantas (ou mais) adaptações quanto qualquer outra pessoa.

Como você, eu também tenho as minhas zonas de conforto, que me dão a sensação de paz e estabilidade. E, do mesmo modo que você, minha vida torna-se bagunçada quando tenho que mudar meus hábitos e fazer coisas diferentes. Fique sabendo: você não é o único que tem medo do desconhecido. Não conheço o que vem lá de fora muito mais do que você, mas sei que não temos outra escolha, a não ser nos adaptarmos, crescer e continuar seguindo adiante. Olhe em volta. Acho que concordará. E penso que descobrirá um grande número de mudanças que tem transformado muitas coisas para melhor.

Sei que há momentos em que parece que eu não consigo mudar a minha cabeça e quero que você mude a sua - quando cada dia traz um novo desafio - talvez, você pudesse, me ajudar um pouco, me compreender... Estou fazendo o melhor que posso... e estou no meio da mudança, exatamente como você.

Quando a mudança chegar... TENTE ANDAR UM POUCO COM OS MEUS SAPATOS

Baseado no livro Walk Awhile in my Shoes, traduzido e adaptado com permissão exclusiva da Performance Systems Corporation para a Bahia Consult

Nenhum comentário:

Postar um comentário