domingo, 11 de outubro de 2009

Walk Awhile in my Shoes - Ande um pouco com meus sapatos - Parte 3


Não faz muito tempo, estava andando com o Diretor de uma empresa, na área de fábrica, quando um empregado se aproximou e disse que tinha uma sugestão para corrigir um problema que vinha acontecendo há muito tempo. O diretor, depois de ouvir a sugestão,  se limitou a dizer ‘OK, pode fazer’. Quando o empregado saiu eu perguntei se a ideia tinha sido boa, ele disse que era excelente. ‘Então eu perguntei por que ele não agradeceu e o parabenizou?’, perguntei. Para meu espanto, ele disse: Se elogiar, estraga, já já vai estar querendo aumento de salário.
Será que é assim que queremos ter os empregados comprometidos com a empresa? Vamos refletir

“RECONHECIMENTO...”

... NA VISÃO DO EMPREGADO

Sou conhecido por dizer, “Eu não quero tapinha nas costas, quero a minha parte em dinheiro”. Bem, não acredite nisto. É mentira! Independentemente de como eu ajo ou falo, eu realmente me importo muito com o que você e os outros pensam de mim e com o que faço. Reconhecimento é importante para mim. É por este motivo que eu uso broches de prêmio, agendas, canetas, camiseta, chaveiro e outros símbolos da empresa. É por isso que eu exponho meus troféus em casa e coloco os certificados na parede.
Acredite ou não, eu espero mais deste emprego do que apenas um contra-cheque. Tem que ser mais, porque tenho certeza de que não vou ficar rico com o que faço! O que eu quero, então? Quero me sentir bem comigo mesmo e com o trabalho que faço; quero sentir que realmente sou parte importante desta organização. E eu só consigo medir meu valor através da percepção dos outros... Eu sempre me vejo através dos seus olhos.
Eu reconheço que não faço um grande trabalho o tempo todo. Alguns dias eu acerto na mosca, alguns dias apenas acerto o alvo, e de vez em quando, não acerto nada. Eu não espero que você me veja como o melhor todo o tempo. Mas eu realmente espero ser reconhecido quando desempenho as minhas atividades acima e além do que é esperado, e quando mantenho um bom e consistente desempenho durante um longo período de tempo. E quanto mais você reconhece meu bom trabalho, mais eu quero trabalhar melhor. É engraçado como isto funciona. Eu acho que tudo isto é parte do que vocês chamam de “natureza humana”.
Eu sei que você está sempre tão ocupado que provavelmente nem pensa em reconhecer meu trabalho. E talvez ainda imagine que, por não ter recebido, você mesmo, reconhecimento, não precise fazer isto com os outros? Mas se você fizer um esforço e me disser quando aprecia meu trabalho, eu darei o melhor de mim em reciprocidade. E prometo não me queixar por receber tanto reconhecimento!
Por favor entenda quão importante isto é para mim... ANDE UM POUCO COM OS MEUS SAPATOS.

... NA VISÃO DO GERENTE

Alguém disse uma vez, “Se você quer ser admirado, não se torne chefe”. Eles estavam certos! Você não consegue agradar a todos. Se alguma coisa eu aprendi é que, não importa o que você faça, alguém vai ficar chateado. É uma verdade que acompanha o trabalho. Eu aceito isto. Mas há uma coisa que eu quero que você saiba sobre mim - uma realidade que faz parte dos seres humanos: Eu me importo com o que você e os outros pensam sobre mim.
Algumas vezes eu ajo como se não me importasse? Certo! Mas com poucas exceções é apenas forma de agir, uma fachada. Você vê, convencendo a mim mesmo que eu não me importo (ou ao menos tentando) me ajuda a passar por situações difíceis. Ajuda-me a seguir através de um caminho que eu acredito ser o certo e que ao mesmo tempo é, também, impopular. Se você é pai ou mãe, sem dúvida entende o que estou dizendo.
Eu me importo com o que você pensa de mim, principalmente com relação a honestidade, integridade e justiça. Eu aposto que você se considera uma pessoa justa. Você provavelmente tem orgulho disto. Bem, eu também. Mas, ocasionalmente, levo a fama de negligenciar e ser injusto no trato com meus empregados. Você ouve apenas um lado da história - sem conhecer todos os fatos - e forma uma opinião sobre mim. Eu sei disto e isto me incomoda, mas não posso me defender porque os fatos normalmente são confidenciais. Então eu levo a fama... e faço de conta que não me importo. Mas me importo.
Entendo, sinceramente, que devo conquistar sua confiança e respeito, assim como você conquistar o meu. E estou trabalhando para que isto aconteça. E, enquanto eu estou trabalhando nisto, talvez você pudesse me dar o mesmo "benefício da dúvida" que você esperaria de mim.
Antes de você me julgar... ANDE UM POUCO COM OS MEUS SAPATOS.

Baseado no livro Walk Awhile in my Shoes, traduzido e adaptado com permissão exclusiva da Performance Systems Corporation para a Bahia Consult

Nenhum comentário:

Postar um comentário