domingo, 18 de outubro de 2009

Walk Awhile in my Shoes – Ande um pouco com os meus sapatos – Parte 4

Falar de Desempenho requer coragem e isso, muitas vezes falta aos Gestores que, preferem conviver com um problema a abordar o assunto com o subordinado. Será que isso resolve?
Boa reflexão!

“LIDANDO COM PROBLEMAS DE DESEMPENHO...”

... NA VISÃO DO EMPREGADO

Quando o assunto é lidar com problemas de desempenho, eu não o invejo nem um pouco. É uma das maiores dificuldades com as quais você tem que lidar. Veja bem, eu estive lá. Embora a maioria de minhas atividades não esteja ligada a isto, eu ainda sei o que é lidar com “problemas de pessoas”. É uma coisa difícil de fazer. (Estar do outro lado também não é fácil.) E, no trabalho, é um assunto que me traz fortes sentimentos, na maioria das vezes em “como” e “quando” acontecerá.
Se eu falhar, eu não espero que você faça vistas grossas. Apenas trate-me com respeito, lide com os fatos, considere o meu ponto de vista e me dê a chance de corrigir o problema. E, por favor não espere até que eu esteja completamente enrolado para falar comigo. Tão logo você traga o problema à tona, mais rapidamente eu posso resolvê-lo. De modo geral, a minha maneira de reagir será determinada pela forma com que você me tratar. Converse comigo como adulto e eu lhe responderei no mesmo tom. Se eu não fizer assim, eu estarei agindo de forma errada e não você e terei que arcar com as conseqüências.
Da mesma forma que eu não espero que você faça vistas grossas com os meus problemas, também não espero que isto aconteça com os meus colegas. Aqui há um fato que talvez você não tenha se dado conta: Nada me deixa tão furioso quanto ser tratado de forma diferente (relevando a falha de outros), principalmente quando sou eu que tenho que fazer o trabalho que outros não fizeram bem feito. É injusto e eu fico ressentido. E o meu ressentimento, eventualmente vai aparecer na qualidade e quantidade do meu trabalho.
Talvez hajam momentos em que você irá se sentir “vítima” de problemas de desempenho. Se isso ocorrer, você não estará sozinho. Quer alguma companhia? ANDE UM POUCO COM OS MEUS SAPATOS.

... NA VISÃO DO GERENTE

Todos fazem alguma atividade que identificam como a pior parte do seu trabalho. Esta é a do meu. Corrigir problemas de desempenho dos empregados é o mal necessário do gerenciamento. Eu odeio isto... é um tributo pesado para mim.
Talvez você pense que algumas vezes eu espero a primeira oportunidade para pular no pescoço dos empregados que tem algum problema de desempenho. Bem, eu admito que não sou perfeito. Talvez eu tenha reagido muito rapidamente em algumas ocasiões. Mas a verdade tem que ser dita, eu tenho uma enorme tendência de me livrar destas situações o mais rápido possível. Algumas vezes tenho evitado me confrontar com problemas a todo custo - até o momento em que eles se tornam tão sérios que eu não tenho escolha. Isto é injusto para você e eu tenho que me desculpar. Minha única explicação para este fato é que eu sou humano.
Quando me defronto com problemas de desempenho de um empregado, tenho a tendência de experimentar duas emoções: ansiedade e raiva. A ansiedade chega apenas em pensar sobre o que eu tenho que fazer. Eu não gosto de dizer a alguém que ele não está indo bem, tanto quanto você. Meu intestino se retorce, chego no limite e quero resolver o assunto e me ver livre dele tão logo quanto possível - tudo ao mesmo tempo. Então eu fico com raiva. Eu não criei o problema, o empregado o fez. Ele ou ela não cumpriram com suas responsabilidades, e por causa disto eu tenho que passar por este desconforto. Além disto, quando me encontro com o empregado é esperado que eu esteja calmo e tenha uma atitude profissional e prossiga num tom orientador que assegure que eu lidei com a situação de maneira consistente e justa. Eu aceito esta responsabilidade, mas, confie em mim, não é nada fácil.
Apenas uma vez eu gostaria que as pessoas entendessem e vissem o quão difícil isto é para mim. Quando o assunto for “problemas de desempenho”, ANDE UM POUCO COM OS MEUS SAPATOS.

Baseado no livro Walk Awhile in my Shoes, traduzido e adaptado com permissão exclusiva da Performance Systems Corporation para a Bahia Consult

Nenhum comentário:

Postar um comentário