domingo, 25 de outubro de 2009

Walk Awhile in My Shoes – Ande um pouco com os meus sapatos – parte 5

Se, falar sobre desempenho requer coragem como mencionamos no blog anterior, imagine falar sobre Avaliação de Desempenho.
Se não fizermos o nosso dever de casa, dia–a-dia, e formos honestos com nossos subordinados, realmente ficará mais dificil.
Que tal fazermos diferente?

“AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO...”

... NA VISÃO DO EMPREGADO

Do meu ponto de vista, ambas, a melhor e a pior coisa sobre avaliação de desempenho é que ela, normalmente, acontece apenas uma vez por ano. Por que a melhor? Por que tende a ser um processo tedioso e algumas vezes doloroso - como a ida anual ao dentista. Por que a pior? Porque muito freqüentemente, é a única oportunidade em que eu recebo um feedback detalhado sobre como estou (ou não estou) fazendo o meu trabalho. E algumas vezes mesmo isto, não acontece de maneira “construtiva”.
Avaliações representam uma terra de pavor para mim porque elas são subjetivas por natureza. Sua opinião irá afetar o meu futuro. E não há garantias de que apenas um avaliador (e a maioria das vezes é apenas um avaliador) realmente conhece o meu trabalho e como eu o executo. Então algumas vezes eu não posso evitar mas tenho medo de que minha avaliação seja baseada no quanto - muito ou pouco - você goste de mim. Tenho medo que você esqueça a parte boa e lembre-se apenas da parte ruim. E tenho medo que minhas colocações não sejam consideradas no processo.
Eu entendo que as avaliações de desempenho provavelmente não sejam a parte mais favorita de seu trabalho. Mas elas são importantes para mim... sei que posso crescer muito com elas. Se tudo que você pode fazer é dizer do modo como você vê o meu trabalho, então, por favor, esteja certo de que irá olhar atentamente para ver o quadro real.
E, à medida que você estiver examinando, talvez possa considerar a possibilidade de me dar, periodicamente, um pouco mais de feedback informal - “aquele” que nós não encontramos com freqüência. Faça isto de forma construtiva, e eu farei o máximo para recebê-lo construtivamente.
Está preocupado com as avaliações de desempenho?... ANDE UM POUCO COM OS MEUS SAPATOS.

... NA VISÃO DO GERENTE

Eu admito. Eu tenho uma atitude de amor e ódio a respeito de avaliação de desempenho. Eu a amo quando você faz ótimos trabalhos e eu tenho que lhe falar sobre isto. Talvez até recompensá-lo por suas contribuições. Por outro lado, eu a odeio quando você não faz ótimos trabalhos, e eu não apenas tenho que lhe falar sobre isto mas também lidar com suas objeções, desapontamento e até mesmo hostilidade.
Avaliar desempenho é uma responsabilidade básica de gerentes. É fundamental para assegurar que todos nós tenhamos o feedback que necessitamos para manter o nosso desempenho no rumo adequado. Mas é uma parte do meu trabalho com a qual não me sinto confortável. Acha que é fácil fazer o papel de juiz e jurado sobre o trabalho de alguém? Acredite-me - não é! - especialmente se o meu julgamento afeta seu salário... e seu futuro. E, quanto maior o número de pessoas que eu tenho que avaliar, mais difícil é. Um monte de tempo pensando comigo mesmo; muitas regras e parâmetros a serem observados e seguidos; dificuldades em redigir; e algumas vezes muita discussão acalorada.
A maioria das pessoas acha que faz um grande trabalho. Muitas delas estão certas... mas não todas elas. No final, eu devo dizer-lhes do modo como vejo os resultados obtidos. É tudo que posso fazer.
E o que você poderia fazer para me compreender?... ANDE UM POUCO COM OS MEUS SAPATOS

Baseado no livro Walk Awhile in my Shoes, traduzido e adaptado com permissão exclusiva da Performance Systems Corporation para a Bahia Consult

Nenhum comentário:

Postar um comentário