segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Walk Awhile in My Shoes – Ande um pouco com os meus sapatos – parte 9

Às vezes os “Gerentes” pensam que resolver Disputas é um assunto muito fácil de ser encarado pelos empregados. Será?

“Na Resolução de Disputas”…

…NA VISÃO DO EMPREGADO
Chame de Descontentamento, Queixa, Disputa, o que quiser: o nome realmente não tem importância. Porque sou humano é inevitável que eu ocasionalmente tenha algumas inquietações sobre como sou tratado no trabalho. Algumas vezes minhas questões são resolvidas por alguém, ou mesmo por conta própria mas, outras vezes, eu acabo convivendo com elas. Elas afetam meu trabalho e têm um papel importante na forma como vejo você e a organização.
Você pode até se orgulhar de ter uma “politica de portas abertas” na qual posso chegar para discutir minhas preocupações “a qualquer momento”. Eu aprecio as boas intenções que esta politica representa. Mas não penso que você faça ideia de como é difícil para mim dar um passo para entrar por aquela porta. Algumas vezes eu acho que você está ocupado demais para me dar a atenção que eu acho que mereço. Para você pode ser apenas um problema ou talvez apenas mais um “empregado chorão”. Para mim, é um problema importante que já vem me incomodando há algum tempo.
É especialmente difícil chegar quando “você” é o motivo de minha queixa. Eu termino tendo que ir procurar “a pessoa que é motivo da minha reclamação”, a fim de buscar a solução. Quem não iria se sentir desconfortável com esta situação? Quem não sentiria medo de ser rotulado como “causador de problemas”? Quem não sentiria medo da possibilidade de “retribuição”? Então, algumas vezes eu simplesmente me calo (pelo menos com você) e vou levando.
Há uma “pegadinha” aqui, que não sei como resolver. Você, de forma completamente válida, tem o direito de perguntar: “Como posso resolver a queixa de um empregado se eu nem mesmo sei que ela existe”? Mas eu também devo perguntar: “Como posso usar um processo que eu tenho medo ou, pelo menos pouca confiança nele”? Eu desejaria ter uma resposta para recomendar, mas não tenho. Só tenho preocupação.
Você acha que a resolução de disputas é um “osso duro de roer”?
… ANDE UM POUCO COM OS MEUS SAPATOS

Baseado no livro Walk Awhile in my Shoes, traduzido e adaptado com permissão exclusiva da Performance Systems Corporation para a Bahia Consult

Nenhum comentário:

Postar um comentário