segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Walk Awhile in My Shoes – Ande um pouco com os meus sapatos – parte 10

O medo de dar informações, normalmente gera muitos prejuízos ás empresas, uma pena que alguns gestores não se dão conta disso.

“Compartilhando Informações”

NA VISÃO DO EMPREGADO
Lembra-se da brincadeira de criança “Eu sei uma coisa que você não sabe...”? Eu me lembro muito bem. Aprendi desde pequeno que  conhecimento é poder e, à medida que fui crescendo (ou pelo menos ficando mais velho), descobri que as coisas não mudaram, especialmente no local de trabalho. Agora, frequentemente me vejo pensando “Você sabe de alguma coisa que eu não sei”. E este pensamento me incomoda. Faz com que eu me sinta uma criança novamente – de um ponto de vista negativo.
Correta ou não, minha percepção é a de que a gerência sempre sabe muito mais sobre os nossos negócios do que eles dizem. Eu, com certeza, entendo que nem toda informação é para consumo público. Algumas coisas devem ser mantidas confidenciais. Mesmo algumas coisas que trato com você também não quero que outros saibam. Mas algumas vezes você tem uma postura paternalista (“eles não precisam saber disso”) com dados não-confidenciais. Ou mesmo pior, quando você assume “eles não querem ser incomodados com todas essas coisas”.
Aqui vai uma sugestão: Que tal me deixar ser o juiz do que eu preciso ou quero saber? Eu posso estar mais interessado do que você pensa! Quando você tem informações sobre o desempenho da empresa, quadro financeiro, dados de qualidade, etc... repasse eles. Deixe-me saber sobre os futuros planos de expansão de produtos e serviços. Compartilhe informações sobre os nossos competidores e tendências em nosso mercado. Se eu jogá-las no lixo, foi escolha minha. Pelo menos você terá feito um esforço para eu me sentir uma parte importante na empresa.
E, de uma vez por todas, não sinta que tem que me proteger de más notícias. Sou adulto; posso lidar com isso. Ouvir más notícias não é agradável, mas não é pior do que ser deixado no escuro... pensando o pior.
Talvez algumas vezes você sinta que não está por dentro de tudo que está acontecendo por aqui. Se for este o caso:
TENTE ANDAR EM MEUS AINDA MAIS DESINFORMADOS SAPATOS.

Baseado no livro Walk Awhile in my Shoes, traduzido e adaptado com permissão exclusiva da Performance Systems Corporation para a Bahia Consult

Nenhum comentário:

Postar um comentário