domingo, 24 de janeiro de 2010

FALANDO UM POUCO DE INTELIGÊNCIA SOCIAL

O Psicólogo Howard Gardner pesquisou e difundiu bastante o conceito de Inteligências Múltiplas, das quais faz parte a Inteligência Social.

Daniel Goleman, outro estudioso, fala em ser inteligente não apenas a respeito, mas em nossos relacionamentos.
Em seu livro Inteligência Social, Karl Albrecht define Inteligência Social como a habilidade de se relacionar com as outras pessoas e conseguir que elas cooperem com você.
Este conceito pode parecer tanto um pouco restritivo quanto manipulativo. Porém, a ideia não é iniciar um debate acadêmico sobre o assunto. Por isso, vamos focar no ponto-de-vista positivo do conceito.
Olhando sob este prisma podemos observar o assunto em atitudes, tanto nossas quanto das outras pessoas, classificando-as como Tóxicas ou Salutares.
Atitudes Tóxicas fazem com que os outros se sintam desvalorizados, incapazes, intimidados, enfurecidos, frustrados ou culpados. O oposto disto são as Atitudes Salutares, que fazem com as pessoas se sintam bem, sob um ou mais aspectos.
O que me chama à atenção é o fato de que a maioria das pessoas que tem atitudes tóxicas ou não tem consciência disso ou acham que o que fazem é normal.
Por exemplo, semana passada eu ia me encaminhando a uma fila para comprar pão, quando um senhor de aparentemente 60 a 65 anos desce do carro e anda apressadamente, passando à minha frente como se eu não existisse.
Neste sábado, minha esposa estava na locadora de vídeo com uma amiga quando viu o título que estavam procurando, falou para a amiga e, quando se dirigiram para a prateleira, uma mulher que a tinha ouvido também exclamou ("ah era o que eu estava procurando, nem tinha visto"), foi lá e pegou o DVD sem sequer perguntar se minha esposa queria. Era a última cópia.
Estes e outros tipos de atitudes são descritos por Albercht em seu livro como, Halitose, Flatulência e Caspa Social. Trataremos eles em no próximo post.
Por enquanto convido o leitor a refletir sobre as atitudes tóxicas que tomamos em nosso dia-a-dia.


Abraços

Humberto

Este assunto foi tema de um CBN Debate, com link no blog

Um comentário:

  1. É interessante como o tema “inteligência social” é tão importante, mas talvez pouco percebido no cotidiano.

    O problema é que muita gente adota como lema de vida que “o importante é garantir meu status, meus privilégios e minha fatia de poder; o resto do mundo que exploda!”

    Uma das conseqüências disso é a cultura do medo que vivemos na atualidade. Por exemplo, um dos destaques do site do Fábio Campana no dia de hoje, 28/01, é que 162 pessoas foram assassinadas na região de Curitiba do início do ano até agora.

    Diante disso, sugiro às entidades de representação civil, aos empresários e aos formadores de opinião que se organizem e coloquem o tema “inteligência social” em destaque na imprensa nacional, até mesmo em campanhas publicitárias.

    Talvez assim as pessoas reflitam um pouco mais sobre as conseqüências de seus atos, principalmente os negativos, sobre a vida de outras pessoas e até das próprias comunidades em que vivem.

    Everton de Andrade

    ResponderExcluir