segunda-feira, 21 de junho de 2010

Falando um pouco sobre Consultoria

Resolvi ler um clássico da literatura sobre Gestão e Administração, escrito há 25 anos: “A Hora da Verdade” de Jan Carlzon, Presidente da SAS.

Já havia lido algumas partes mas, ler o livro inteiro é uma experiência que recomendo e, com certeza proporcionará muito aprendizado.

Durante o tempo que trabalhei como executivo, buscava ser auto-suficiente e, obviamente, como não era, me frustrava. Quando iniciei a minha carreira de Consultor, e já se vão 16 anos, tinha alguma dificuldade em vender meus serviços pois, imaginava que a maioria dos executivos também pensava como eu e queria ser auto-suficiente.

Estudei bastante sobre o assunto para poder demonstrar aos futuros clientes que poderia ajuda-lós sem ocupar o seu espaço e sim, agir como um parceiro.

Transcrevo alguns trechos do livro, sobre este assunto, que me deixaram bastante satisfeito:

“O mesmo se aplica à minha opinião sobre consultores externos. Muitas vezes ouvi pessoas sussurrarem que na realidade quem planejara uma determinada solução fora o Consultor. Parece ser ponto de honra poder lidar com uma situação sem precisar apelar para consultores externos. Isso é algo que nunca compreendi. Deve ter origem na concepção tradicional de que o administrador tem um conhecimento superior e infalível e deve sempre manter controle sobre tudo.

Para mim, nada pode ser mais sensato e responsável do que trazer para bordo um piloto de navio quando se está navegando em águas desconhecidas e perigosas.

Se eu lhes dou responsabilidade, devo também permitir que lancem mão dos recursos suplementares de que precisem:  um especialista em finanças, um consultor administrativo ou uma agência de publicidade.

Não importa quem é o autor das boas idéias. O que interessa é que as ideias  funcionem, e as organizações se fortaleçam, servindo bem aos usuários.”

Espero que este texto ajude não só aos executivos, como também aos meus colegas consultores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário