domingo, 12 de fevereiro de 2012

Os 20 hábitos que os executivos devem abandonar

Hábito 4– “Impor julgamentos”

Baseado no livro de Marshall Goldsmith What got you here won’t get you there (estranhamente traduzido como Reinventando o seu próprio sucesso).

“Gastamos muito tempo ensinando líderes o que fazer. Não gastamos tempo suficiente ensinando líderes o que parar de fazer” – Peter Drucker.

Vamos começar falando de uma pessoa que chega a uma clínica com a perna quebrada. Cabe ao médico e sua equipe “consertar” a perna. Não interessa, naquele momento, saber se a perna foi quebrada em um jogo de futebol ou escorregando na rua. Não é necessário julgar.

Vamos agora pensar em uma reunião de equipe sobre sugestões de melhoria e, ao ouvir a primeira sugestão, o chefe diz “boa ideia”; na segunda sugestão, ele diz “excelente ideia”; e, na terceira, ele diz “muita boa ideia”.

Duas coisas vão ocorrer nos participantes:

Primeiro, vão ranquear as ideias como 3, 1 e 2, baseados nas exclamações do chefe;

Segundo, os participantes irão se perguntar: “Em que posição vai ficar a minha ideia? Será ‘excelente’, ‘muito boa’, ‘boa’ ou será esquecida?”

Não seria muito mais fácil agradecer, de maneira sincera e passar para a próxima? Mesmo com muita experiência, será que temos condições de julgar se uma ideia é excelente, boa, muito boa ou ruim, instantaneamente?

A sugestão de Marshall Goldsmith, tanto em situações de cunho pessoal quanto empresarial, é dizer, de maneira sincera, “obrigado”, sem fazer julgamentos.

E nós, continuamos julgando? Boa reflexão!

Nenhum comentário:

Postar um comentário